O TERRÍVEL VIRUS ÉBOLA

A “Mama África” há muito é acometida por tragédias múltiplas. Escravidão,
guerras, discriminação, AIDS, e atualmente o vírus Ébola. A Febre
Hemorrágica Ébola ou Febre Hemorrágica Ebola (FHE) é a doença humana
provocada pelos vírus ébola. A pele escurece grudando nos músculos e ossos.
A diarréia e o vômito são constantes desidratando e sufocando. Por conta da
debilidade, os olhos saem do globo ocular, e o indivíduo padece até a morte
agonizante com infecções generalizadas. Os vírus da gripe aviária H1N5 e
suína H1N1 se multiplicam dentre as espécies, mas são transmitidos para
humanos com muita dificuldade e lentidão. Assim como o HIV, no caso do Ébola
a história é outra. A cada ano ele aparece do nada em alguma vila africana,
é transmitido de pessoa a pessoa rapidamente, mata centenas e desaparece. O
Ébola surgiu pela primeira vez em 1976 no Zaire onde o vírus se espalhou e
centenas de pessoas morreram. A velocidade com que a doença se espalha, a
rapidez com que as pessoas morrem e a letalidade superior a 90%, faz com que
o medo desse vírus se espalhe no planeta. Hoje sabemos que o vírus é
transmitido através do sangue ou de outros fluidos corporais, o que permite
conter os focos da doença. Há estudos que sugerem que os morcegos sejam
provavelmente o esconderijo do vírus Ébola. A área onde esses morcegos vivem
coincide com a localização dos focos da doença, o que reforça a teoria.
Nesses dias os casos de febre hemorrágica causada pelo vírus Ébola subiram
para 1323, totalizando 729 mortes em quatro países, Guiné-Conacry, Libéria,
Nigéria e Serra Leoa, com 57 óbitos em apenas quatro dias, anunciou a
Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta é a primeira vez que se identifica
e confirma-se uma epidemia de Ebola na África Ocidental, pois até agora
sempre aconteceram na África Central. Há dias um médico morreu com os
sintomas de Ébola e a OMS advertiu que a epidemia pode se esparramar dentre
os profissionais de saúde, caso não se protejam. A OMS continua a não
recomendar as restrições de viagens e comércio aos quatro países afetados
pela epidemia, porém a comunidade internacional já começa a preocupar-se com
a extensão do surto de Ébola, como um perigo real. O governo britânico já
realizou na semana passada uma reunião de emergência para avaliar a ameaça.
A OMS examina estas medidas e também pretende solicitar contribuições da
Organização Mundial do Turismo (OMT) e do Conselho Internacional de
Aeroportos (ACI). Fruto de desequilíbrio social e ambiental, os vírus aqui
mencionados são pragas contemporâneas que podem comprometer nossa
civilização caso não as controlemos. O homem deveria perder mais tempo em
descobrir curas ao invés de dedicar-se as guerras, falácias e a soberba.

Compartilhe