BALANÇO OLÍMPICO

O resultado da Olimpíada Rio 2016 não trouxe novidade. Estados Unidos da
América do Norte na ponta da tabela, seguido por Inglaterra e China. O
desempenho brasileiro na décima terceira posição, com 19 medalhas contra 17
em Pequim foi abaixo do esperado, mesmo tendo melhorado historicamente. Tal
resultado é fruto de uma cesta nefasta e histórica de omissões do desgoverno
nacional. A falta de responsabilidade governamental é inversamente
proporcional a vontade de postar o nome ao lado de abnegados que com esforço
próprio e altas penas chegam ao topo do esporte. O discurso de tirar
crianças das ruas e afastá-las do crime com o esporte já é “démodé” e não
basta. Como atleta amador certifico que o esporte alavanca a educação, serve
de exemplo, aumenta a qualidade de vida, destaca e projeta pessoas. O
brasileiro na média não tem onde praticar seu esporte com correção e
segurança. Os que tem talento e desejam tornar-se profissionais passarão por
dificuldades que chegam a inviabilizar a própria vida. Falta patrocínio para
sobrevivência e para desenvolver seu talento é apenas a ponta do “iceberg”.
Não existe acompanhamento médico, psicológico, nutricional, físico etc. Não
há atenção e nem planejamento público, tudo teria que nascer na pré-escola.
Nossos atletas foram educados em escolas que nem se quer possuem espaço para
aulas adequadas de educação física. As poucas crianças que tem condições de
praticar alguma modalidade de esporte, lhe são tiradas o prazer de fazê-lo
como crianças, tendo hoje a obrigação de aprender e fazer daquilo um
emprego, afastando assim as mesmas dos estudos, que á a base fundamental
para a formação de qualquer cidadão. A razão é sempre a mesma, ou seja, o
esporte é a única maneira de fazer estas crianças ascender socialmente,
forçando muitas vezes os pais a fazerem sacrifícios que seriam
desnecessários caso o devido apoio fosse dado por parte de quem governa. Os
poucos que mesmo com todas as dificuldades conseguem superar todos os
obstáculos e têm a oportunidade de praticar esporte profissionalmente, ainda
sim sofrem com a falta de incentivo. Por isso, independente de tudo, nossos
atletas são campeões naturais. Venceram dificuldades maiores do que a
própria modalidade praticada, venceram um desgoverno mentiroso e
descomprometido com a educação e o esporte. Parabéns atletas nacionais!

Compartilhe